21/08/15

Eu a achar que tinha imenso potencial literário

Escrevi uma vez um conto sobre uma rapariga que estava presa no quarto e quando descobria como é que se abria a porta, o mundo tinha acabado e só sobrava o seu quarto, o que fazia com que ela acreditasse que estar preso é melhor que estar livre. Depois, morria de fome.

Trágico.

Esta ideia iluminada ocupou umas boas quarenta páginas. Terminei e achei que devia publicar nalgum lado. Senti agora desejo de satisfazer a Laura adolescente.

Sem comentários: