11/07/15

Do dia (36)

Acordei pouco antes das 6h, com medo de não acordar a tempo. Escrevi a tese, vi que tinha chamadas não atendidas, duas mensagens cuja resposta ficou adiada, voltei a adiar, fiz lembretes para não me esquecer. Comi, à temperatura ambiente, iogurte com pêssego. Comi uma banana. Tomei banho, voltei à tese, nisto eram oito, hora de sair. Cantarolei até ao carro para me distrair. Fui até ao cemitério, enterrei a avó perto do pai, deu-me o choro para dentro, pus-me no comboio e vim para Lisboa.

2 comentários:

Maria Eu disse...

Um abraço.

(às vezes, é preciso chorar para fora. ajuda a atenuar a dor)

Laura disse...

Um beijinho, Maria :)