07/06/15

Do dia (33)

Não consigo parar de pensar em que dia a minha mãe terá casado com o meu pai, mas sei que foi vestida de cor-de-rosa e a cor parece-me mais importante que o dia. Abri um cigarro ao meio, espalhei pelas mãos e cheirei. Os cigarros só me servem para isso: para trucidá-los sem piedade e lembrar-me dos colinhos de infância.

Sem comentários: