18/04/15

Pontos de encontro

Encontrar-me com a Anita tem muito que se lhe diga, porque ela escolhe sempre esculturas como referência. No outro dia, ao pé de uma pilinha gigante e hoje, ao pé de uma bicheza enorme que cumprimenta o sol. Como não quero dar parte fraca, finjo que sei qual é a escultura, chego mais cedo aos sítios e encontro-a.
O nosso primeiro ponto de encontro foi na Gulbenkian. Felizmente que já tinha vivido em Lisboa quando combinámos, por isso já sabia que não se escrevia Glubenkian, como achei que era durante meses. Caso contrário, o meu conhecimento de escultura estaria hoje comprometido, porque ela teria ficado chocada com a minha pobre cultura e nunca mais teria desejado encontrar-se comigo.

Sem comentários: