16/04/15

Günter Grass

Eu fiz o secundário em Ponta Delgada e tinha que apanhar, todos os dias, o autocarro para casa, cuja viagem demorava 45 minutos. Por norma, era uma viagem muito aborrecida, além do transporte ser muito mau e o caminho, com demasiadas curvas para o meu estômago.
Numa dessas viagens, pareceu-me reconhecer o senhor do casal que seguia nuns assentos adiante.
O Günter Grass e a mulher apanhavam aquele terrível autocarro, mesmo à minha frente. Tive absoluta certeza que eram eles porque fui procurar fotografias de ambos.

Enchi-me de coragem e fui lá perguntar se era quem eu achava. Recebi um olhar de surpresa e um 'não' muito tímido. Não insisti e saí na minha paragem. Era mesmo o Günter Grass, provavelmente só a querer ter umas férias descansadas.

Sem comentários: