20/04/15

Das impressões

Quando estudei Fernando Pessoa, carregava sempre um livrinho com capa roxa e letras douradas, com comentários do António Quadros. Era uma edição da minha mãe, já antiga e muito sublinhada, que me cabia na mochila. Uma vez, no teste, lá estava a comentar um poema qualquer, quando decidi que haveria de citar o dito. Só que, em vez de escrever António Quadros, escrevi António Obras.

2 comentários:

granpola disse...

Laura, é a primera vez que vou comentar num post do teu blogue. Sou espanhola e estudante de português, e dei com o teu blogue na pesquisa de coisas interesantes para me inspirar e apreender. Dei tambén como o da Anita e algumas colegas tuas mais.
Adorei, estou cá no trabalho e nao consigo deixar de te ler(Ups Estou cá quase escondida debaixo do ecrã) Mas neste pequeno post foste direitinha para meu inteleito e para a minha pele toda. Sou amante das letras e das artes em geral, no entanto sou formada em Belas Artes. Recentemente tive um bebé, estou muito com aquilo da figura da "mãe", com aquilo do sentido das coisas, com aquilo dos despistes... Cá e que mixturaste todo em poucas palavras. Obrigada por escreveres tão bonito.

Laura disse...

Olá! O teu comentário deixou-te muitíssimo feliz, nem sabes. Aliás, a mim e à anita :) És sempre muito bem recebida neste blog, como é claro! E eu tinha muito gosto em encontrar-me contigo :)
Mais uma vez, obrigada e fico contentíssima por estares a gostar, porque este blog é muito especial para mim.