17/04/15

A sociedade incomodada

Mas a organização do trabalho refere-se apenas àqueles trabalhos que outros podem fazer para nós, por exemplo o de abate de animais, o do cultivo dos campos etc; os outros continuam a ser trabalhos egoístas, porque ninguém pode fazer por ti as tuas composições musicais, os teus esboços de pintura, etc.: ninguém pode substituir as obras de Rafael.

Estas são obras de um Único, e só as pode fazer, enquanto as outras poderiam ser designadas de "humanas", uma vez que o que nelas há de próprio é de somenos importância, e praticamente "qualquer pessoa" pode ser ensinada a fazê-las.

Como a sociedade só pode levar em conta os trabalhos de interesse comum ou humanos, quem produzir obras únicas não pode contar com a sua protecção, pode mesmo sentir-se incomodado com a sua intromissão. O Único emergirá da sociedade para se distinguir dela, mas a sociedade nunca produzirá nenhum Único.

Stirner, O Único e a sua Propriedade, p. 212.
Para a {anita}.

1 comentário:

{anita} disse...

Ohhhh! um beijinho para ti, outro para o Stirner :)