25/05/14

Ai se sesse


Ai Se Sesse
Zé da Luz


Se um dia nois se gostasse
Se um dia nois se queresse
Se nois dois se empareasse
Se juntim nois dois vivesse
Se juntim nois dois morasse
Se juntim nois dois drumisse
Se juntim nois dois morresse
Se pro céu nois assubisse
Mas porém acontecesse de São Pedro não abrisse 
a porta do céu e fosse te dizer qualquer tulice
E se eu me arriminasse
E tu cum eu insistisse pra que eu me arresolvesse
E a minha faca puxasse
E o bucho do céu furasse
Tarvês que nois dois ficasse
Tarvês que nois dois caisse
E o céu furado arriasse
e as virgi toda fugisse!

4 comentários:

josé luís disse...

qui delíssia :) :)

eu si as eleição ganhasse
e os puliticu fugisse
tarvez 'té mandasse
prá puta qui parisse
quem acordortografasse

(sorry, sou contra o a.o. e não resisti…)

Laura disse...

:D adorei!
não fosse eu obrigada a escrever de acordo com o acordo... pensando bem, ainda vou usar o teu poema como epígrafe dos academismos tontos!

josé luís disse...

errata: falta um s em delíssia ;)
o meu lema é (repito-o até à exaustão):

A COR DO HORTO GRÁFICO
É DE BURRO QUANDO FOGE

mainada.

Laura disse...

Ou então azul... Marinho. ;)